Uma gravação secreta creditada ao autor do próximo livro dos Beatles revelou o que foi dito entre Paul McCartney, John Lennon e Yoko Ono a respeito da saída de George Harrison da banda

Uma gravação secreta creditada ao autor do próximo livro dos Beatles revelou o que foi dito entre Paul McCartney, John Lennon e Yoko Ono a respeito da saída de George Harrison da banda.

John Harris está escrevendo uma biografia dos Beatles intitulada “Get Back” , que detalha todas as brigas dos últimos dias dos Beatles como uma banda. Para esquentar o lançamento do livro Harris revelou conversas privadas entre Paul McCartney , John Lennon e Yoko Ono após os cinco dias de licença de George Harrison do grupo em 1969.

O livro está sendo lançado para coincidir com o lançamento de documentários de Peter Jackson de mesmo nome.

Harris, que recebeu centenas de horas de gravações como parte do projeto, vasculhou o conteúdo para desvendar o que realmente aconteceu durante os momentos não vistos da banda. Agora, ele compartilhou a história do que realmente aconteceu quando Harrison temporariamente saiu da banda em 10 de janeiro de 1969, após uma difícil manhã de “atritos” enquanto trabalhava nas faixas Get Back e Two Of Us. Naquela manhã, aparentemente o guitarrista saiu do estúdio simplesmente dizendo “vejo vocês nos clubes”.

Em declarações ao Guardian , Harris disse: “Lennon, Ono e McCartney almoçaram e gravaram uma conversa notável. No áudio que recebi, começou de repente e inesperadamente “. A discussão foi gravada secretamente pelo cineasta Michael Lindsay-Hogg, que escondeu um microfone na cantina do estúdio para capturar os momentos íntimos da banda. Começando com Lennon observando sua dedicação a sua parceira, Yoko Ono, ele começa: “‘Quer dizer, eu não vou mentir, você sabe. Eu sacrificaria todos vocês por ela [Ono] … Ela vem em primeiro lugar, você sabe. ”

McCartney responde: “Então, onde está George?”
Lennon: “Foda-se onde George está.”
Ono: “Oh, você pode recuperar o George tão facilmente, você sabe disso.”
Lennon: “Mas não é tão fácil porque é uma ferida purulenta… e ontem nós permitimos que fosse ainda mais fundo, e não lhe aplicamos nenhum curativo.”
McCartney: “Veja, estou apenas presumindo que ele vai voltar, você sabe. Estou presumindo que ele vai voltar.”
Lennon: “Bem, você …”
McCartney: “Se ele não for, então ele não é; então é um novo problema.”
Lennon: “Se o quisermos – ainda não tenho certeza se o quero – mas se decidirmos que o queremos como política, posso concordar com isso porque a política nos manteve juntos.”

Em outro lugar, Harris aponta para outra conversa gravada de McCartney, que na época era o empresário dos Beatles em substituição ao falecido Brian Epstein, discutindo com Lennon que estava trazendo Ono para as reuniões da banda.

“Eles estão exagerando sobre isso, mas John sempre exagera, você sabe, e Yoko provavelmente sempre exagera. Então, essa é a cena deles. Você não pode ir dizendo: ‘Não exagere nessa coisa, seja sensato e não a traga às reuniões ‘. Isso é decisão dele. Não é da nossa conta começar a interferir nisso. ” diz McCartney.

O livro de John Harris, Get Back , tem previsão de lançamento para 12 de outubro.